sexta-feira, 1 de outubro de 2010

ABORTO, "CRISTÃOS" E UM ATEU

-->
   
  Por João S. de Oliveira Júnior

   Um dos principais clichês para argumentar a descriminalização do aborto é a velha retórica de que o Estado é laico, vivemos numa democracia e não teocracia, por aí vai. É interessante também como discursos são moldados conforme a ocasião. Para quem observou o debate com candidatos a presidência em emissoras de TVs e rádios católicas, ocorrido segunda-feira dia 23/08, ou mesmo em outras oportunidades, pôde ouvir dos então candidatos um velho discurso "politicamente correto" (mas logicamente equivocado).Todos, evidente que por estarem diante de bispos e freiras, se encheram para falar "Eu sou cristão e sou contra o aborto mas...". Após este 'mas' acrescente desculpas, eufemismos, ignorância e velhos chavões favoráveis a prática abortista. Coerentemente, deveria ser inaceitável e, para contrariar os supostos "cristãos", tentarei colocar o ponto de vista me supondo um 'ateu': 


    Bem, como ateu não há nada que me impeça de ser contra o aborto até porque eu não creio que a vida humana começa após a concepção com a presença de um ser único, isto não é objeto de "crença" pois as ciências biológicas ha muito tempo já comprovou isso (1). Como ateu, convicto, eu posso ter respeito pelas leis da sociedade e a Constituição federal, lei que rege todas as outras como seguir  tratados jurídicos que dão ao cidadão o direito a vida, o que seria o direito a existência, caminho para todos os outros direitos. Supondo que militantes pró-aborto consigam mudar as leis que protegem o nascituro e liberem geralmente a prática, como ateu não preciso ser isento de consciência e por ser uma questão ética, também, posso perceber que a moralidade não se resume ao que querem por ou não nas leis, logo, poderei enxergar claramente que o direito humano está sendo violado. Como ateu, posso ser humanista e perceber o absurdo ao dizerem que a carnificina de aborto seria questão de direitos humanos (2). Embora seja homem,  não é muito difícil notar que a prática de um aborto foge a natureza da mulher, pois, podemos saber também sobre os males do aborto nas mesmas (3). E, ainda que no mito de "aborto seguro", veríamos que causa transtornos presentes e futuros analisando clinicamente, independente da crença feminina. O esclarecimento e debate que governos deveriam fazer para combater o aborto clandestino seria esta conscientização dos males, um maior apoio e proteção para as gestantes e uma punição daqueles promovem aborto nas mães, aproveitando uma situação de desespero das mesmas. Já viram algum "açougueiro" ou alguém que induz a mulher ao aborto ser preso e condenado por isso como ordena o Código Penal?  Algum candidato sugeriu no seu plano de governo alguma das sugestões acima ao tratar do assunto?

   “Se aborto é o problema, aborto não pode ser a solução”_ já dizia Dra. Lenise Garcia (4).

   Como ateu é de se esperar que eu não preciso dar crédito ao que a Igreja diz mas eu deduzo que para um cristão, biblicamente (5), ele deveria dar mais valor a uma criança que está no ventre materno, saber que um tal catecismo (Didaqué) do primeiro século já não permitia o aborto, e que acintosamente os seus líderes sempre foram contra esta prática. Engraçado que se percebe muitos "cristãos" sendo contrários às orientações da própria Igreja dando pouco valor a esta questão do aborto, deixando-o como assunto secundário e subjetivo, contrariam gravemente a um Karol Woytila, Tereza de Calcutá, Joseph Ratzing, Zilda Arns e tantos outros nomes de expressão para aqueles que têm a mesma fé, diferentemente de mim, ateu. 

   Colocando-me na pele de um ateu, ainda que no seu secularismo, percebo que não há desculpas para ser a favor do aborto e parabenizo a Igreja Católica por lutar contra esse mal incondicionalmente, mas ao mesmo tempo fico perplexo como muitos "cristãos" tentam enganar aos outros e a si mesmos neste assunto (e enganam), depois acusam os pró-vidas de “fundamentalistas”. Parece que a 'lógica' foi para o passear e esqueceu de voltar.







(5)     Ver Jr 1,5; Sl 139,15 e Lc 1,44

5 comentários:

Carlos disse...

Amém. defendamos o direito à vida. Viva a vida!

IB disse...

MANIFESTO AO POVO BRASILEIRO, MANIFESTO A DEUS.
Aos religiosos de plantão, e inclusive eu. Se realmente são religiosos e defende a palavra de Deus e o mestre Jesus Cristo, não acreditará na serpente que induz os religiosos ao medo e aos escândalos sobre o aborto.
Seguimos a palavra de Cristo como a única palavra que respeitamos e acreditamos, não daremos ouvidos as mentiras que exala enxofre.
Seguimos Cristo, pois só ele tem o poder santo de julgar-nos.
Seguimos Cristo, nas obras sociais, na partilha do pão, no perdão dos pecadores, na palavra de cristo, na vontade do pai, não ouviremos os homens, mas sim da palavras de CRISTO JESUS.

Reinildo disse...

è importante iermos contra todo pensamento comtrário ao evagelho.

Leandro disse...

Abortar ou ser a favor do aborto é aceitar derramar sangue do próximo, sendo assim o seu sangue será derramado também. Ouçam o que Líderes Cristãos falam sobre o assunto: www.youtube.com/watch?v=ZMo_Sk6ald0

Pablo Romero disse...

Muito bom mesmo.