terça-feira, 25 de agosto de 2015

TRÊS ANOS DE MISSA TRIDENTINA (MONTES CLAROS-MG/ 25-08-2015)

Reverendo Pe. Gledson e alguns colaboradores da Missa Tridentina
Por João S. de Oliveira Junior ¹



Hoje, 25 de agosto, comemoramos 03 (três) anos de retorno da Missa Tridentina em Montes Claros – MG. Três anos de Graças e honras a Jesus no Santíssimo Sacramento pelo riquíssimo rito romano tradicional na celebração do Santo Sacrifício. Três anos de luta para que a Missa Tridentina aconteça a cada semana.

São Luís IX com a coroa de espinhos
detalhe do relicário

Não por acaso, 25/08 é dia do Soldado e do Grande São Luís IX (Rei da França, que empreendeu duas Cruzadas, morrendo na segunda). São Luís foi devotíssimo da Sagrada Paixão de Nosso Senhor e chegou a construir a famosa Saint Chapelle, como um gigante relicário em pedras e vitrais para abrigar a coroa de espinhos do Redentor². 

Desde março do ano corrente, a Santa Missa Tridentina vem acontecendo às sextas-feiras (dia da Paixão), no Santuário do Bom Jesus. Como bem lembra o Pe. Henrique Munaiz, "na Cruz, Ele mostrou realmente o quanto é Bom, Boníssimo!" 


Então, caríssimos, nestes 03 (três) anos, Graças indizíveis foram alcançadas: quantos fiéis redescobriram o valor e a sacralidade da Santa Missa?! Quantos se converteram um pouquinho mais à Igreja de Cristo?! Quantas pessoas se encantaram com o amor e o cuidado com que nosso Senhor é tratado no Rito Gregoriano?! Quantos, ainda que não podendo ir toda semana, compreenderam a importância de a Missa Tridentina acontecer em nossa arquidiocese?!


 Missa Tridentina  quando celebrada
 na Igreja Matriz pelo Pe. Henrique

Há muitos testemunhos registrados no caderno próprio e até postados na página oficial da Missa Tridentina em Montes Claros, no facebook. Mas ainda é pouco, muito pouco, diante do que nosso Senhor merece. Quantos em nossa cidade ainda estão por conhecer a maior riqueza de nossa Fé, que é a Santa Missa?! De fato, temos muito trabalho a fim de que a Santa Missa Tridentina se torne mais conhecida, para honra e glória de Deus. E não depende só de nós, mas de todos os confrades e amigos que trabalham pela promoção da Missa em nossa região. Por isso, a todos apelo: Cristo nos quer como soldados! Avante!

Que a Virgem Santíssima nos abençoe sempre nesta luta por nosso Senhor e tua Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Que a Mãe do Bom Conselho encoraje e inspire a mais sacerdotes na nossa região a celebrarem neste piedoso e singular rito. São Luís, Rei da França, rogai por nós!

A Missa Tridentina atualmente
no Santuário do Bom Jesus

MARIA SEMPRE!


1 – O autor deste texto é Presidente da Sociedade da Santíssima Virgem Maria - SSVM e um dos leigos colaboradores da Missa Tridentina em Montes Claros –MG.

2 - Revista Catolicismo, edição agosto de 2015, sessão Festas e Santos do Mês.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

DOM BERTRAND E SSVM-REENCONTRO

Dom Bertrand reencontra-se com membros e amigos da SSVM
 por editores do blog.

No dia 04 de agosto de 2015, nas dependências do Hotel Monte Rey, Montes Claros - MG, membros e amigos da Sociedade da Santíssima Virgem Maria - SSVM  reencontraram-se com o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança, 2° (segundo) na ordem de sucessão da Família Imperial do Brasil.

Solícito, o príncipe cumprimentou todos presentes
Muito gentil e atencioso para com os presentes, Sua Alteza fez questão de saudar e cumprimentar a todos, apresentando-se aos que ainda não conhecia.

Em seguida, tomando a palavra, deu início a uma verdadeira aula de sociologia, à luz da Doutrina Católica, sobre Monarquia como meio de governo mais natural e orgânico, portanto, forma de governo mais querida por Deus. 

"Nos grupos humanos que foram surgindo em diversas partes do mundo, simultaneamente, o líder surgia seja por ser o mais inteligente, ou mais corajoso, ou mais forte etc. A questão é que o povo confiava e respeitava esse líder, e em troca, esse líder sentia a necessidade de zelar e proteger o grupo. Desse modo orgânico, nasce as monarquias."  - declarou o Príncipe.

Citando Santo Tomás de Aquino, Dom Bertrand contou sobre a riqueza e complementariedade das diferenças, querida pelo Criador que, de certo modo, deixou na individualidade de cada ser humano uma característica que reflete singularmente a grandeza e imensidão de seu Ser, o Soberano Senhor. Diferenças estas: hierárquicas, orgânicas e harmônicas presentes na própria natureza, perceptíveis desde a formação dos elementos de um átomo ao sistema solar. A família, instituída por Deus, é exemplo de um reino onde os pais são o rei e a rainha, os filhos os príncipes e princesas. Analogicamente, a monarquia é observada no reino animal, no vegetal _no Reino Celeste!_ enfim, em toda a natureza criada.
Dom Bertrand fez uma excelente explanação
sobre a causa monárquica.

Falando sobre as funções principais de um Rei (que seria: I - trazer consigo os caracteres e virtudes de um povo sendo um símbolo e modelo a este; II - defender a nação nos interesses dos súditos e III - ouvi-los), mencionou que a degradação das monarquias se deu quando os reis deixaram de ir à frente das batalhas pelos seus povos. Similar ao que acontece com nossa caótica República onde os partidos defendem, no fundo, interesses de poder e não o bem real da Nação.

O Príncipe ressaltou a importância da fidelidade à doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana na sua integridade, mencionando grandes feitos da nossa Mater Eclesiae na sua história como as grandes universidades, os hospitais, o sistema jurídico penal, a civilização ocidental em tudo que esta tem de bom e valoroso, lembrando o historiador Daniel Rops. Dom Bertrand destacou ainda a importância em defendê-la frente a crise do mundo moderno, este cada vez mais paganizado e hostil à Verdadeira Fé. Vale ressaltar que esta fidelidade da Monarquia Brasileira à Igreja Católica no passado rendeu bons frutos, como a abolição da escravidão.

Por fim, Dom Bertrand deixou claro aos Membros e amigos da SSVM, como a outros presentes por interesse monárquico neste encontro, que a restauração da Monarquia de nada valerá se for por mera movimentação política e os corações das pessoas não estiverem em Cristo, nosso Senhor e Soberano Rei.

Em breve postaremos uma entrevista exclusiva concedida por Dom Bertrand à SSVM.


MARIA SEMPRE!

segunda-feira, 27 de julho de 2015

IMAGEM DE SATANÁS EXPOSTA NO EUA


Imagem de Baphomet
 ladeada por duas crianças
Por editores do blog

O mundo parece caminhar a passos largos para um sempre mais vergonhoso estado de apostasia. É sabido por muitos o triste fato ocorrido nos Estados Unidos da América: Uma Imagem de Baphomet, símbolo do Satanismo, foi exposta para apreciação popular (25/07/2015 - Detroit).

Houve tempo em que a filosofia do evangelho reinava em todos os espaços e instituições de modo louvável. Hoje em dia, onde o laicismo impera e o relativismo parece ter seu trono erguido em incontáveis corações, estes tempos áureos mais parecem um sonho longínquo pronto a perder-se nas trevas do esquecimento. Nós, pela fé, alimentamos a certeza de que a sociedade cristã será restaurada por católicos valorosos que, auxiliados pela graça e genuflexos aos pés da Santíssima Virgem Maria, varrerão da Terra todos os indícios do satanismo e instaurarão o reinado social de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Nossa Senhora esmaga a cabeça da serpente,
um dos símbolos baldeados pelo satanismo.

Rezemos pela conversão de todos os homens e pela mais completa ruína de Satanás! Sagrado Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria! Nós temos confiança em Vós!


MARIA SEMPRE!


terça-feira, 21 de julho de 2015

AS BOAS MANEIRAS. UMA REFLEXÃO...



As boas maneiras se formam à sombra dos pais



Por Dom Tihamer Toth

"A atitude do homem para com seu próximo, bem como as relações sociais, são reguladas por certas convenções exatamente determinadas. Essas convenções sociais formaram-se no correr dos séculos, e ninguém tem o direito de subtrair-se a elas. Algumas devem sua origem a motivos religiosos; outras procedem do desejo de salvaguardar o bom entendimento entre os homens; e se, em aparência, elas só interessam à apresentação exterior, muitas vezes nos ajudam a observar as leis essenciais da moral.

Estas considerações são razões suficientes para observarmos conscienciosamente as regras da boa educação. 

As regras da cortesia outra coisa não são que um convite à prática da caridade; servem para estabelecer entre nós as relações ditadas pela sabedoria e pela moderação. Bem entendido, elas só têm sentido se inspiradas pelo coração, praticadas com sinceridade, sem afetação nem exagero, com facilidade toda natural.

Essas convenções devem regular a nossa vida inteira: atitudes, relações, cartas conversações, jogos, distrações, refeições, trabalhos, comportamento para com nossos pais e superiores, para com as senhoras, etc.

Quem quisesse subtrair-se às convenções da polidez, progressivamente estabelecidas no decurso de longos séculos, a si próprio tornaria impossível a vida no seio duma sociedade civilizada. Por exemplo, se alguém quisesse acolher os seus convivas em traje de dormir, ir à sociedade sem colarinho nem gravata, sair à rua de chinelos, tomá-lo-iam pelo menos por um grosseirão ou maluco, e muita gente, com toda a razão ficaria gravemente chocada.

" Sem o concurso da alma
tudo isso é mero verniz"
Os ingleses e os americanos toam, às vezes, um pouco à ligeira as regras das conveniências. Conta-se que um general americano, por ocasião duma audiência dada pelo Papa, abeiro-se do Santo Padre muito familiarmente com um “How do you do, Sir”. “Como vai, Sr.?” Essa falta de conveniência excede os limites, mesmo para um americano; mas nós outros devemos observar muito mais estritamente ainda as regras da polidez; toda negligência nos é vedada.

Como vês, meu filho, a presença ou ausência das maneiras cultivadas trai-se constantemente pelo teu andar, pelo modo como te sentas, por tua conversa, teus gestos, olhar, riso, por teu comportamento à mesa, na rua, em sociedade, _até mesmo pelo trajar correto e pelas mãos limpas.

Mas a observância das conveniências ainda não é a educação perfeita. Sem o concurso da alma, tudo isso é mero verniz. A verdadeira cortesia brota dum caráter puro e dum coração cheio de bondade. Impossível apropriar-se dela por formas puramente exteriores.

Se as conveniências não se associarem a um caráter íntegro, as exterioridades da polidez podem encobrir até um espertalhão. Muitas vezes, ai! Uma alma corrompida oculta-se por uma roupa elegante e bem assentada; é o fel no açúcar, é o verme na maçã, tão bela aparência. E, se eu tivesse que escolher, certamente preferiria sentar-me à mesa ao lado dum homem de alma pura, mas que _ horribile dictu _ levasse a faca à boca, a me sentar ao lado do cavalheiro de maneiras perfeitas, que come camarões com elegância suprema, mas que não se constrange de subtrair somas alheias.

Nada é mais verdadeiro do que o provérbio: Beleza sem virtude é flor sem perfume. Contrariamente, a mais singela concha pode esconder uma pérola, e o minério mais grosseiro pode conter ouro.

Na realidade, podemos muito bem escapar à necessidade de escolher. Eu quisera ver em todos os jovens não somente uma alma honesta e um caráter de boa têmpera, mas também as maneiras perfeitas dum homem bem educado."


Fonte: Livro O Moço Educado, Parte I, Capítulo 1, pág. de 07 a 09; Editora Vozes, 1960.



MARIA SEMPRE!